Mobile menu

Off topic: Por que raz√£o necessitamos de tradutores ?
Thread poster: Maria Luisa Duarte

Maria Luisa Duarte  Identity Verified
Spain
Local time: 00:47
English to Portuguese
+ ...
Sep 19, 2003

"Hello" colegas!

A seguinte informação pareceu-me bastante interessante e quero compartilhar a mesma com todos,
Um Abraço

Maria Luisa Duarte.


O multilinguismo na UE
A Europa √© um espa√ßo caracterizado por uma grande diversidade cultural e, consequentemente, por uma grande diversidade lingu√≠stica. Um dos objectivos dos fundadores da UE foi o de assegurar o respeito e a preserva√ß√£o deste patrim√≥nio. Por esta raz√£o, o princ√≠pio da paridade lingu√≠stica foi logo de in√≠cio inclu√≠do nos tratados que criaram as Comunidades Europeias. Este √© um aspecto em que a UE se distingue de outras organiza√ß√Ķes internacionais.

O princ√≠pio do multilinguismo, tal como √© praticado na UE, consiste em p√īr √† disposi√ß√£o dos cidad√£os, das administra√ß√Ķes nacionais, dos operadores econ√≥micos e dos tribunais dos Estados-Membros os textos legislativos nas suas pr√≥prias l√≠nguas e em garanti-lhes, igualmente nas suas l√≠nguas, o acesso √†s Institui√ß√Ķes da Uni√£o. Deste modo, todos os Estados-Membros e todos os cidad√£os da Uni√£o s√£o colocados em p√© de igualdade para comunicarem com esta √ļltima.

Por estas raz√Ķes, a UE deve dispor permanentemente de volumosos servi√ßos de tradu√ß√£o escrita e de interpreta√ß√£o oral (estes servi√ßos s√£o distintos), que assegurem um n√≠vel elevado de qualidade lingu√≠stica.

Todavia, a fim de conter os custos, √© necess√°rio modular, na pr√°tica, o princ√≠pio da paridade lingu√≠stica em fun√ß√£o da import√Ęncia e dos destinat√°rios dos textos.

O multilinguismo nos textos jurídicos
O Tratado CE, o Tratado Euratom e o Tratado UE fazem f√© - ou seja, possuem o mesmo valor jur√≠dico - nas onze l√≠nguas oficiais. Hoje em dia, √© o artigo 314.¬į do Tratado CE que estipula o princ√≠pio do multilinguismo relativamente ao texto dos tratados. Nos termos do artigo 290.¬į do Tratado CE, o Conselho √© quem deve tomar as decis√Ķes relativas ao regime lingu√≠stico das Institui√ß√Ķes comunit√°rias, o que j√° foi feito em 1958, quando foi adoptado o Regulamento n.¬ļ 1. Nos termos do artigo 6.¬ļ do Tratado da Uni√£o Europeia, a Uni√£o respeita a identidade nacional dos seus Estados-Membros O n.¬ļ 11 do artigo 2.¬ļ do Tratado de Amesterd√£o prev√™ a possibilidade de os cidad√£os da Uni√£o utilizarem a sua l√≠ngua nos seus eventuais contactos com as Institui√ß√Ķes. O n.¬ļ 4 do artigo 41.¬ļ da Carta dos Direitos Fundamentais inclui igualmente esta disposi√ß√£o.

Porquê tantas línguas ?
O princ√≠pio do multilinguismo assegura a transpar√™ncia democr√°tica e a igualdade de direitos dos cidad√£os e dos Estados-Membros no acesso √† legisla√ß√£o e na comunica√ß√£o com as Institui√ß√Ķes da UE. Garante igualmente a seguran√ßa jur√≠dica: os actos legislativos que s√£o de aplica√ß√£o directa nos Estados-Membros devem ser aprovados nas v√°rias l√≠nguas, a fim de que todos os interessados possam tomar deles conhecimento em condi√ß√Ķes de igualdade.

Quais são estas línguas ?
Existem actualmente onze línguas oficiais (alemão, dinamarquês, espanhol, finlandês, francês, grego, inglês, italiano, neerlandês, português e sueco). O irlandês (gaélico, "Gaeilge") é considerado língua oficial no tocante ao direito primário (ou seja, aos tratados). De cada vez que se processa um alargamento, o Conselho acrescenta sistematicamente às línguas oficiais existentes as línguas designadas pelos novos Estados-Membros.

A exigência de qualidade
Com a preocupa√ß√£o de comunicar melhor com os cidad√£os europeus, a UE adoptou h√° algum tempo o princ√≠pio da qualidade da redac√ß√£o. Este princ√≠pio foi finalmente incorporado no Tratado de Amesterd√£o atrav√©s da Declara√ß√£o n.¬ļ 39, que deu lugar a uma s√©rie de regras comuns (reunidas no Guia Pr√°tico Comum) com o objectivo de simplificar a apresenta√ß√£o e o estilo dos textos legislativos e de os tornar, deste modo, mais leg√≠veis e acess√≠veis para os cidad√£os.

Consequências práticas deste princípio
Enquanto os tratados, a legisla√ß√£o comunit√°ria e as decis√Ķes do Tribunal de Justi√ßa s√£o elaborados em todas as l√≠nguas oficiais, em aplica√ß√£o do artigo 6.¬ļ do Regulamento n.¬ļ 1/58, cada Institui√ß√£o possui as suas pr√≥prias regras de aplica√ß√£o do regime lingu√≠stico (utilize a coluna da esquerda para saber como cada Institui√ß√£o aplica, concretamente, o princ√≠pio do multilinguismo). Os acordos internacionais possuem igualmente um regime que lhes √© peculiar, decidido caso a caso em fun√ß√£o dos pa√≠ses ou das organiza√ß√Ķes que s√£o partes no acordo.

Como tornar-se tradutor junto da UE?

Recrutamento
As Institui√ß√Ķes da Uni√£o Europeia recrutam habitualmente os seus tradutores atrav√©s de concursos gerais, embora sejam utilizados outros processos de selec√ß√£o no caso dos agentes tempor√°rios ou auxiliares. O aviso de concurso √© sempre publicado no Jornal Oficial das Comunidades Europeias. Todos os concursos s√£o diferentes: as condi√ß√Ķes de admiss√£o e o conte√ļdo das provas dependem das necessidades do momento. Por isso, recomendamos vivamente a consulta de cada aviso de concurso, para conhecer com exactid√£o as suas modalidades com exactid√£o.

Por enquanto, as Institui√ß√Ķes disp√Ķem de uma ampla autonomia na organiza√ß√£o dos concursos, embora sejam por vezes organizados concursos interinstitucionais conjuntos. Todavia, est√° prevista a cria√ß√£o de um servi√ßo interinstitucional de recrutamento, para harmonizar as condi√ß√Ķes de admiss√£o e os avisos de concursos.

Condi√ß√Ķes de admiss√£o aos concursos

As condi√ß√Ķes gerais de admiss√£o s√£o as que se aplicam a todos os funcion√°rios da CE nos termos do respectivo Estatuto (artigo 28.¬ļ), a saber:

ter a nacionalidade de um dos Estados-Membros das Comunidades

encontrar-se em situação regular face às leis de recrutamento militar

oferecer as garantias de moralidade requeridas para o exerc√≠cio das fun√ß√Ķes (Certificado do Registo Criminal)

possuir um conhecimento profundo de uma ou de duas línguas oficiais da União Europeia e um conhecimento satisfatório de outra língua oficial.
As condi√ß√Ķes espec√≠ficas para um lugar de tradutor s√£o bastante vari√°veis, mas incluem sempre as seguintes rubricas:

certificados e diplomas: estudos universitários completos (licenciatura), não necessariamente no domínio linguístico; em alternativa, é por vezes aceite uma experiência profissional de nível equivalente;
conhecimentos linguísticos: perfeito domínio da língua-alvo (a língua para a qual se irá traduzir), de nível equivalente ao da língua materna; profundos conhecimentos de, pelo menos, outra língua oficial da União Europeia; bons conhecimentos de outras línguas oficiais (estas exigências linguísticas variam consoante os casos);
experiência profissional no domínio linguístico: a duração da experiência exigida depende, nomeadamente, do nível do posto a prover (para os graus de base da carreira, por vezes não é exigida qualquer experiência) e das necessidades do momento;
limite de idade: vari√°vel, frequentemente 45 anos.
Para se tornar funcionário, é necessário além disso:

ser aprovado no concurso
preencher as condi√ß√Ķes de aptid√£o f√≠sica necess√°rias.
Cada concurso é organizado para uma determinada língua-alvo.

Aviso de concurso
Todos os avisos de concurso são publicados no Jornal Oficial (JO) das Comunidades Europeias e anunciados em jornais nacionais dos países comunitários onde é utilizada a língua-alvo do concurso.

O aviso publicado no JO cont√©m o formul√°rio oficial de candidatura e todas as condi√ß√Ķes de admiss√£o, gerais e espec√≠ficas, bem como indica√ß√Ķes quanto ao procedimento a seguir (incluindo os prazos e os documentos justificativos a apresentar).

Concursos a decorrer e calend√°rio previsional

Provas
O concurso comp√Ķe-se de provas escritas e orais. As provas escritas consistem em traduzir para a l√≠ngua-alvo do concurso textos de car√°cter geral, jur√≠dico, econ√≥mico ou outro. Podem ser obrigat√≥rias ou facultativas e, de um modo geral, √© permitido o uso de dicion√°rios. Por vezes, as provas incluem igualmente question√°rios de escolha m√ļltipla, que s√£o eliminat√≥rios.

A prova oral consiste numa entrevista entre o j√ļri e o candidato, tanto na l√≠ngua-alvo do concurso como nas restantes l√≠nguas apresentadas pelo candidato. O objectivo consiste em avaliar a cultura geral do candidato, o seu conhecimento das actividades da UE e a sua capacidade para se integrar no seu futuro meio de trabalho.

Procedimento
Os candidatos são sempre mantidos a par do andamento do concurso. Caso se devam deslocar até ao local das provas, recebem uma contribuição financeira para as despesas de viagem.

A organiza√ß√£o pr√°tica do concurso √© assegurada pelo Servi√ßo de Recrutamento de cada Institui√ß√£o. O j√ļri, composto por funcion√°rios, √© encarregado dos aspectos t√©cnicos e de fundo: admiss√£o dos candidatos aos concursos, selec√ß√£o dos textos para as provas escritas, nota√ß√£o das provas, prepara√ß√£o da entrevista oral. Os trabalhos do j√ļri s√£o secretos.

O anonimato √© totalmente garantido nas provas escritas. √Č elaborada uma lista de aptid√£o, ou seja, uma lista dos candidatos aprovados no concurso, tendo em vista o provimento dos lugares vagos, actuais e futuros.

Os candidatos constantes da lista de aptidão podem receber da Instituição uma oferta de trabalho, em função dos postos vagos. Se aceitarem esta proposta, deverão submeter-se a um exame médico, a que se seguirá um estágio de avaliação com a duração de nove meses. No final do estágio, se a avaliação for positiva, serão nomeados, tornando-se assim funcionários.

Uma oportunidade a explorar: os est√°gios externos
V√°rias Institui√ß√Ķes possuem programas de est√°gios para jovens, destinados a permitir-lhes adquirirem uma experi√™ncia profissional e pessoal e tomarem contacto com as actividades da Institui√ß√£o. Estes est√°gios, todavia, n√£o podem levar √† nomea√ß√£o como funcion√°rio, embora proporcionem aos estagi√°rios a ocasi√£o de se familiarizarem com o ambiente de trabalho. Entre outras condi√ß√Ķes, os candidatos devem ter pelo menos trinta anos de idade, estarem em vias de concluir os seus estudos ou t√™-los conclu√≠do recentemente e possuir a nacionalidade de um Estado-Membro da UE (por vezes, podem ser admitidos nacionais de pa√≠ses candidatos, em determinadas condi√ß√Ķes).

Outra possibilidade de trabalhar como tradutor para a UE: a tradução externa

Recrutamento de tradutores: no caso dos novos Estados-Membros, o estatuto de funcionário só é adquirido no momento da adesão efectiva do país. Retorno ao texto

Tradutores: Quando h√° novas ades√Ķes, podem ser igualmente organizados concursos para revisores. O revisor √© um tradutor experimentado que faz a releitura das tradu√ß√Ķes, a fim de validar o texto, corrigindo os erros eventuais.

Europa" é o portal da União Europeia na Internet (http://europa.eu.int/).


Direct link Reply with quote
 


To report site rules violations or get help, contact a site moderator:


You can also contact site staff by submitting a support request »

Por que raz√£o necessitamos de tradutores ?

Advanced search






WordFinder
The words you want Anywhere, Anytime

WordFinder is the market's fastest and easiest way of finding the right word, term, translation or synonym in one or more dictionaries. In our assortment you can choose among more than 120 dictionaries in 15 languages from leading publishers.

More info »
CafeTran Espresso
You've never met a CAT tool this clever!

Translate faster & easier, using a sophisticated CAT tool built by a translator / developer. Accept jobs from clients who use SDL Trados, MemoQ, Wordfast & major CAT tools. Download and start using CafeTran Espresso -- for free

More info »



All of ProZ.com
  • All of ProZ.com
  • Term search
  • Jobs