KudoZ home » English to Portuguese » Medical (general)

pink puffer

Portuguese translation: Soprador rosado ou do Tipo A, PP

Advertisement

Login or register (free and only takes a few minutes) to participate in this question.

You will also have access to many other tools and opportunities designed for those who have language-related jobs
(or are passionate about them). Participation is free and the site has a strict confidentiality policy.
GLOSSARY ENTRY (DERIVED FROM QUESTION BELOW)
English term or phrase:pink puffer
Portuguese translation:Soprador rosado ou do Tipo A, PP
Entered by: Sonia Heidemann
Options:
- Contribute to this entry
- Include in personal glossary

14:46 Mar 29, 2004
English to Portuguese translations [PRO]
Medical - Medical (general)
English term or phrase: pink puffer
Corresponde a um tipo de Doença Pulmonar Obstrutiva Crónica (DPOC), associado ao enfisema pulmonar. Em pt-pt não surge qualquer ocorrência (nem em Inglês, nem em Português), em pt-br surge o termo original e a tradução «soprador rosado». Será este termo correcto em pt-pt?
lteopisto
Portugal
Local time: 15:51
soprador rosado ou do Tipo A, PP
Explanation:
7. ANÁLISE DA FISIOPATOGENIA

A troca de gases é a principal função do sistema pulmonar. Os pulmões tornam o organismo capaz de obter o oxigênio para atingir suas necessidades metabólicas celulares e remover o dióxido de carbono produzido nestes processos. O sistema pulmonar também é capaz de proteger o organismo filtrando e umidificando o ar inspirado. Com o envelhecimento muitos indivíduos têm o sistema pulmonar afetado principalmente na capacidade de recuo elástico (MAHAN et ESCOTT-STUMP, 1998).

A doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) é um processo caracterizado pela presença de bronquite crônica, enfisema, ou ambos, levando ao desenvolvimento de obstrução de vias aéreas (MAHAN & ARLIN, 1994; VASCONCELOS et al, 2002). A obstrução, geralmente progressiva, pode ser acompanhada por uma hiper-atividade das vias aéreas e, apenas parcialmente reversível com o uso de broncodilatadores (CUPPARI, 2002). Já VASCONCELOS et al (2002), consideram essa obstrução com progressão lenta e irreversível.

A DPOC costuma ser diagnosticada ao redor da 5ª ou 6ª década de vida, mas pode iniciar-se muito mais cedo. Ela é prevalente no sexo masculino, e o tabaco tem sido o fator de risco isolado mais importante para o desenvolvimento da DPOC. (CUPPARI, 2002; TARANTINO e SOBREIRO, 1997). O paciente E.B., 72 anos, sexo masculino foi tabagista durante 50 anos, e esse fato pode explicar o desenvolvimento da doença. Essa associação entre o tabagismo e a DPOC foi comprovada por estudos epidemiológicos. (AUGUSTO e cols, 2002).

A DPOC pode ser dividida em dos tipos: soprador róseo ou do tipo A ou PP (“pink puffer”) ou “Good Drive Respirator”, e o pletórico azul ou do tipo B ou BB (“blue bloater”).

Segundo AUGUSTO e cols (1999), os pacientes PP têm hipoxemia leve ou moderada, apresentando-se emagrecidos e sem cianose. Geralmente têm capacidade física reduzida, são longilíneos e têm idade entre 50 e 75 anos. A dispnéia é precoce, progressiva e grave, a tosse é discreta, a expectoração é escassa e há infecções ocasionais (TARANTINO e SOBREIRO, 1997).

Já os pacientes BB possuem distúrbios de troca gasosa bem acentuados, com hipoxemia crônica, severa e hipercapnia. Não têm aspectos emagrecidos e quase sempre apresentam cianose e hipertensão pulmonar (AUGUSTO e cols, 1999). São mias jovens comparados aos pacientes PP, têm de 40 a 55 anos e são de estrutura do tipo brevelínea e sua capacidade é pouco reduzida conseguindo manter suas atividades normais rotineiras. A dispnéia é intermitente e moderada, sua tosse é acentuada e periódica com expectoração abundante e as infecções são constantes (TARANTINO e SOBREIRO, 1997).

---------------------------------------------------------------------

Fisiopatologia da DPOC

DPOC é uma mistura de 3 processos patológicos diferentes, que se combinam para formar o quadro clínico final. Esses processos são a BC, enfisema e, menos frequente, a asma. Cada caso de DPOC é único na intensidade desses três processos, más há dois tipos principais da doença.

No primeiro tipo a BC é o principal determinate no processo. BC é definida como a produção excessiva de muco pela árvore brônquica, com tosse produtiva crônica ou recorrente durante pelo menos três meses por ano, por dois anos consecutivos, não resultantes de causas aparentes, como bronquiectasias, tuberculose ou outras doenças que possam causar sintomas idênticos.

Não existe uma causa definida para BC. Vários fatores podem contribuir como: tabagismo, infecções do trato respiratório e poluição atmosférica. Na maioria dos casos, a doença resulta em uma somação desses fatores, entre os quais o tabagismo ocupa o primeiro lugar

É a inflamação e secreção de muco que determina o componente obstrutivo da BC. Em contraste com o enfisema, o leito capilar está relativamente preservado. Ocorre um variado grau de enfisema, mas este usualmente é centrolobular e não panlobular. Há um decréscimo da ventilação e o organismo responde com um aumento do débito cardíaco. Isso resulta em uma circulação rápida em um pulmão pobremente ventilado, levando à hipoxemia e policitemia. Eventualmente, hipercapnéia e acidose respiratória aparecem, levando a vasoconstrição arterial pulmonar e Cor Pulmonale. Com o aumento da retenção de CO2, esse pacientes desenvolvem sinais de insuficiência direita do coração e são conhecidos como "blue bloates" (BB) - azul pletórico.

O segundo tipo predominante é constituído pelos pacientes cujo enfisema é o processo subjacente primário. Enfisema é definido como uma alteração anatômica caracterizada pelo aumento anormal dos espaços aéreos distais ao bronquíolo terminal não respiratório, acompanhada por alterações destrutivas das paredes alveolares.

O tabagismo é a principal causa de enfisema e DPOC.

A fisiologia envolve destruição gradual dos séptos alveolares e destruição do leito capilar pulmonar, levando à um crescimento da capacidade de oxigenar o sangue. Há uma diminuição do débito cardíaco e hiperventilação compensatória. Isso resulta em um fluxo sanguíneo limitado em um pulmão superventilado. A gasometria e pressão parcial dos gases são normais em relação aos pacientes com DPOC BB. Devido à diminuição do débito cardíaco, o resto do corpo pode sofrer de hipoxemia tecidual e caquexia respiratória. Eventualmente esses pacientes desenvolvem diminuição da massa muscular e perda de peso, sendo conhecidos com "pink puffers" (PP) - soprador rosado.

Clínica

História/Exame Físico (ver quadro)

É imprevisível a gravidade de uma combinação dos sinais e sintomas da BC, enfisema e asma. Sintomas podem incluir dispnéia progressiva, limitação progressiva aos exercícios e alterações no estado mental. Em adição, há grandes diferenças na história e na clínica entre os diferentes tipos de DPOC.

Características dos tipos enfisematoso e brônquico da DPOC

Quadro Clínico

Enfisematoso
Brônquico

Dispnéia
Início insidioso, lentamente progressivo
Em geral, notada pela primeira vez durante infecções torácicas

Escarro
Usualmente escasso e mucóide
Fortemente copioso e purulento

Perda de Peso
Freqüentemente acentuada
Usualmente discreta ou ausente

Exame do tórax
Tórax em tonel, expansibilidade diminuída, murmúrio vesicular diminuído, FTV diminuído.
Murmúrio vesicular normal, estertores bolhosos ocaionais, hiperinsuflação discreta.

Cor pulmonale crônico com inuficiência cardíaca
Raro até os estágios terminais da doença
Comum

Radiografia do tórax

Pulmão hiperinsuflado e hipertransparente; frequentemente atenuação reginal da trama vascular
Freqüentemente evidências de doença inflamatória antiga.

Exames Fisiológicos

Capacidade pulmonar total
Aumentada
Normal ou discretamente diminuída

Volume residual
Muito aumentado
Moderadamente aumentado

Complacência pulmonar, estática
Aumentada
Quase normal

Complacência pulmonar, dinâmica
Normal ou discretamente reduzida
Muito reduzida

Elasticidade pulmonar
Muito reduzida
Variável

Resistência inspiratória das vias aéreas
Normal
Aumentada

Capacidade de difusão
Muito reduzida
Variável

PCO2 arterial
Usualmente normal ou baixa
Com freqüência, crônicamente elevada

PO2 arterial
Redução discreta em repouso; em geral, cai com o esforço.
Freqüentemente muito baixa em repouso; alteração variável com esforço

Pressão arterial pulmonar em repouso
Normal ou discretamente elevada em repouso; aumentada com o exercício
Com freqüência, acentuadamente elevada em repouso

Débito cardíaco
Freqüentemente baixa
Geralmente quase normal


Selected response from:

Sonia Heidemann
Grading comment
Obrigada. Apesar de este termo não surgir na literatura pt-pt, vou considerá-lo colocando tb. o termo original entre aspas.
4 KudoZ points were awarded for this answer

Advertisement


Summary of answers provided
5soprador rosado ou do Tipo A, PP
Sonia Heidemann
4soprador rosado
Salvador Scofano and Gry Midttun
3enfisematosoargus
3small help
verbis


  

Answers


1 hr   confidence: Answerer confidence 3/5Answerer confidence 3/5
small help


Explanation:
Domain Definition
Slang Noun. Source: Steroids turns patients skin pink; smokers. Definition: A patient with Emphysema. Context: Respiratory Therapists referring to a patient with emphysema. Social Source: Respiratory Therapists. Source: Compiled by The University of Oregon. (additional references)

http://www.websters-online-dictionary.org/definition/english...


Weight loss is common in patients with long standing disease with predominately emphysema (the old fashioned pink puffer), although weight gain may also be a feature suggesting chronic hypoxaemia and the onset of cor pulmonale (the blue bloater). Patients can rarely be classified as pink puffers or blue bloaters, and the two states do not have any pathophysiological correlation. Therefore the usefulness of this classification is questionable and its use is discouraged by both sets

http://web.ask.com/redir?bpg=http://web.ask.com/web?q=pink+p...

ciao


verbis
Local time: 16:51
Specializes in field
Native speaker of: Native in ItalianItalian
Login to enter a peer comment (or grade)

1 hr   confidence: Answerer confidence 3/5Answerer confidence 3/5
enfisematoso


Explanation:
As opções que encontrei foram enfisematoso, soprador róseo ou soprador rosado. Este termo também não aparece no Stedman. O termo em inglês aparece com bastante freqüência (total de 428) no Google.


    www.pucpr.br/saude/laboratorios/ patologia/docs/LPE_resp.doc
    Reference: http://www33.brinkster.com/pablodias/sobredpoc.htm
argus
Local time: 11:51
Works in field
Native speaker of: Native in PortuguesePortuguese

Peer comments on this answer (and responses from the answerer)
neutral  Sonia Heidemann: O termo médico "enfisematoso" é um dos estados clinicos da DPOC
1 day17 hrs
Login to enter a peer comment (or grade)

1 hr   confidence: Answerer confidence 4/5Answerer confidence 4/5
soprador rosado


Explanation:
...muscular e perda de peso, sendo conhecidos como "pink puffers" (PP) - soprador rosado, (Tarantino,1997)....

...Tipo A (Tipo PP - pink puffer - soprador rosado - enfisema):
Homem no meio de seus 50 anos apresentando falta de ar cada vez maior durante os últimos três ou quatro anos; tosse ausente ou produtiva de pouca expectoração...






    www2.prudente.unesp.br/dfisio/fisioresp/dpoc.htm
Salvador Scofano and Gry Midttun
Norway
Local time: 16:51
Native speaker of: Native in NorwegianNorwegian, Native in PortuguesePortuguese
PRO pts in category: 1031
Login to enter a peer comment (or grade)

1 day18 hrs   confidence: Answerer confidence 5/5
soprador rosado ou do Tipo A, PP


Explanation:
7. ANÁLISE DA FISIOPATOGENIA

A troca de gases é a principal função do sistema pulmonar. Os pulmões tornam o organismo capaz de obter o oxigênio para atingir suas necessidades metabólicas celulares e remover o dióxido de carbono produzido nestes processos. O sistema pulmonar também é capaz de proteger o organismo filtrando e umidificando o ar inspirado. Com o envelhecimento muitos indivíduos têm o sistema pulmonar afetado principalmente na capacidade de recuo elástico (MAHAN et ESCOTT-STUMP, 1998).

A doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) é um processo caracterizado pela presença de bronquite crônica, enfisema, ou ambos, levando ao desenvolvimento de obstrução de vias aéreas (MAHAN & ARLIN, 1994; VASCONCELOS et al, 2002). A obstrução, geralmente progressiva, pode ser acompanhada por uma hiper-atividade das vias aéreas e, apenas parcialmente reversível com o uso de broncodilatadores (CUPPARI, 2002). Já VASCONCELOS et al (2002), consideram essa obstrução com progressão lenta e irreversível.

A DPOC costuma ser diagnosticada ao redor da 5ª ou 6ª década de vida, mas pode iniciar-se muito mais cedo. Ela é prevalente no sexo masculino, e o tabaco tem sido o fator de risco isolado mais importante para o desenvolvimento da DPOC. (CUPPARI, 2002; TARANTINO e SOBREIRO, 1997). O paciente E.B., 72 anos, sexo masculino foi tabagista durante 50 anos, e esse fato pode explicar o desenvolvimento da doença. Essa associação entre o tabagismo e a DPOC foi comprovada por estudos epidemiológicos. (AUGUSTO e cols, 2002).

A DPOC pode ser dividida em dos tipos: soprador róseo ou do tipo A ou PP (“pink puffer”) ou “Good Drive Respirator”, e o pletórico azul ou do tipo B ou BB (“blue bloater”).

Segundo AUGUSTO e cols (1999), os pacientes PP têm hipoxemia leve ou moderada, apresentando-se emagrecidos e sem cianose. Geralmente têm capacidade física reduzida, são longilíneos e têm idade entre 50 e 75 anos. A dispnéia é precoce, progressiva e grave, a tosse é discreta, a expectoração é escassa e há infecções ocasionais (TARANTINO e SOBREIRO, 1997).

Já os pacientes BB possuem distúrbios de troca gasosa bem acentuados, com hipoxemia crônica, severa e hipercapnia. Não têm aspectos emagrecidos e quase sempre apresentam cianose e hipertensão pulmonar (AUGUSTO e cols, 1999). São mias jovens comparados aos pacientes PP, têm de 40 a 55 anos e são de estrutura do tipo brevelínea e sua capacidade é pouco reduzida conseguindo manter suas atividades normais rotineiras. A dispnéia é intermitente e moderada, sua tosse é acentuada e periódica com expectoração abundante e as infecções são constantes (TARANTINO e SOBREIRO, 1997).

---------------------------------------------------------------------

Fisiopatologia da DPOC

DPOC é uma mistura de 3 processos patológicos diferentes, que se combinam para formar o quadro clínico final. Esses processos são a BC, enfisema e, menos frequente, a asma. Cada caso de DPOC é único na intensidade desses três processos, más há dois tipos principais da doença.

No primeiro tipo a BC é o principal determinate no processo. BC é definida como a produção excessiva de muco pela árvore brônquica, com tosse produtiva crônica ou recorrente durante pelo menos três meses por ano, por dois anos consecutivos, não resultantes de causas aparentes, como bronquiectasias, tuberculose ou outras doenças que possam causar sintomas idênticos.

Não existe uma causa definida para BC. Vários fatores podem contribuir como: tabagismo, infecções do trato respiratório e poluição atmosférica. Na maioria dos casos, a doença resulta em uma somação desses fatores, entre os quais o tabagismo ocupa o primeiro lugar

É a inflamação e secreção de muco que determina o componente obstrutivo da BC. Em contraste com o enfisema, o leito capilar está relativamente preservado. Ocorre um variado grau de enfisema, mas este usualmente é centrolobular e não panlobular. Há um decréscimo da ventilação e o organismo responde com um aumento do débito cardíaco. Isso resulta em uma circulação rápida em um pulmão pobremente ventilado, levando à hipoxemia e policitemia. Eventualmente, hipercapnéia e acidose respiratória aparecem, levando a vasoconstrição arterial pulmonar e Cor Pulmonale. Com o aumento da retenção de CO2, esse pacientes desenvolvem sinais de insuficiência direita do coração e são conhecidos como "blue bloates" (BB) - azul pletórico.

O segundo tipo predominante é constituído pelos pacientes cujo enfisema é o processo subjacente primário. Enfisema é definido como uma alteração anatômica caracterizada pelo aumento anormal dos espaços aéreos distais ao bronquíolo terminal não respiratório, acompanhada por alterações destrutivas das paredes alveolares.

O tabagismo é a principal causa de enfisema e DPOC.

A fisiologia envolve destruição gradual dos séptos alveolares e destruição do leito capilar pulmonar, levando à um crescimento da capacidade de oxigenar o sangue. Há uma diminuição do débito cardíaco e hiperventilação compensatória. Isso resulta em um fluxo sanguíneo limitado em um pulmão superventilado. A gasometria e pressão parcial dos gases são normais em relação aos pacientes com DPOC BB. Devido à diminuição do débito cardíaco, o resto do corpo pode sofrer de hipoxemia tecidual e caquexia respiratória. Eventualmente esses pacientes desenvolvem diminuição da massa muscular e perda de peso, sendo conhecidos com "pink puffers" (PP) - soprador rosado.

Clínica

História/Exame Físico (ver quadro)

É imprevisível a gravidade de uma combinação dos sinais e sintomas da BC, enfisema e asma. Sintomas podem incluir dispnéia progressiva, limitação progressiva aos exercícios e alterações no estado mental. Em adição, há grandes diferenças na história e na clínica entre os diferentes tipos de DPOC.

Características dos tipos enfisematoso e brônquico da DPOC

Quadro Clínico

Enfisematoso
Brônquico

Dispnéia
Início insidioso, lentamente progressivo
Em geral, notada pela primeira vez durante infecções torácicas

Escarro
Usualmente escasso e mucóide
Fortemente copioso e purulento

Perda de Peso
Freqüentemente acentuada
Usualmente discreta ou ausente

Exame do tórax
Tórax em tonel, expansibilidade diminuída, murmúrio vesicular diminuído, FTV diminuído.
Murmúrio vesicular normal, estertores bolhosos ocaionais, hiperinsuflação discreta.

Cor pulmonale crônico com inuficiência cardíaca
Raro até os estágios terminais da doença
Comum

Radiografia do tórax

Pulmão hiperinsuflado e hipertransparente; frequentemente atenuação reginal da trama vascular
Freqüentemente evidências de doença inflamatória antiga.

Exames Fisiológicos

Capacidade pulmonar total
Aumentada
Normal ou discretamente diminuída

Volume residual
Muito aumentado
Moderadamente aumentado

Complacência pulmonar, estática
Aumentada
Quase normal

Complacência pulmonar, dinâmica
Normal ou discretamente reduzida
Muito reduzida

Elasticidade pulmonar
Muito reduzida
Variável

Resistência inspiratória das vias aéreas
Normal
Aumentada

Capacidade de difusão
Muito reduzida
Variável

PCO2 arterial
Usualmente normal ou baixa
Com freqüência, crônicamente elevada

PO2 arterial
Redução discreta em repouso; em geral, cai com o esforço.
Freqüentemente muito baixa em repouso; alteração variável com esforço

Pressão arterial pulmonar em repouso
Normal ou discretamente elevada em repouso; aumentada com o exercício
Com freqüência, acentuadamente elevada em repouso

Débito cardíaco
Freqüentemente baixa
Geralmente quase normal





    Reference: http://www33.brinkster.com/pablodias/sobredpoc.htm
    Reference: http://www2.prudente.unesp.br/dfisio/fisioresp/dpoc.htm
Sonia Heidemann
Specializes in field
Native speaker of: Portuguese
PRO pts in category: 68
Grading comment
Obrigada. Apesar de este termo não surgir na literatura pt-pt, vou considerá-lo colocando tb. o termo original entre aspas.
Login to enter a peer comment (or grade)




Return to KudoZ list


KudoZ™ translation help
The KudoZ network provides a framework for translators and others to assist each other with translations or explanations of terms and short phrases.



See also:



Term search
  • All of ProZ.com
  • Term search
  • Jobs
  • Forums
  • Multiple search