Off topic: Por que raz√£o necessitamos de tradutores ?
Thread poster: Maria Luisa Duarte

Maria Luisa Duarte  Identity Verified
Spain
Local time: 19:54
English to Portuguese
+ ...
Sep 19, 2003

"Hello" colegas!

A seguinte informação pareceu-me bastante interessante e quero compartilhar a mesma com todos,
Um Abraço

Maria Luisa Duarte.


O multilinguismo na UE
A Europa √© um espa√ßo caracterizado por uma grande diversidade cultural e, consequentemente, por uma grande diversidade lingu√≠stica. Um dos objectivos dos fundadores da UE foi o de assegurar o respeito e a preserva√ß√£o deste patrim√≥nio. Por esta raz√£o, o princ√≠pio da paridade lingu√≠stica foi logo de in√≠cio inclu√≠do nos tratados que criaram as Comunidades Europeias. Este √© um aspecto em que a UE se distingue de outras organiza√ß√Ķes internacionais.

O princ√≠pio do multilinguismo, tal como √© praticado na UE, consiste em p√īr √† disposi√ß√£o dos cidad√£os, das administra√ß√Ķes nacionais, dos operadores econ√≥micos e dos tribunais dos Estados-Membros os textos legislativos nas suas pr√≥prias l√≠nguas e em garanti-lhes, igualmente nas suas l√≠nguas, o acesso √†s Institui√ß√Ķes da Uni√£o. Deste modo, todos os Estados-Membros e todos os cidad√£os da Uni√£o s√£o colocados em p√© de igualdade para comunicarem com esta √ļltima.

Por estas raz√Ķes, a UE deve dispor permanentemente de volumosos servi√ßos de tradu√ß√£o escrita e de interpreta√ß√£o oral (estes servi√ßos s√£o distintos), que assegurem um n√≠vel elevado de qualidade lingu√≠stica.

Todavia, a fim de conter os custos, √© necess√°rio modular, na pr√°tica, o princ√≠pio da paridade lingu√≠stica em fun√ß√£o da import√Ęncia e dos destinat√°rios dos textos.

O multilinguismo nos textos jurídicos
O Tratado CE, o Tratado Euratom e o Tratado UE fazem f√© - ou seja, possuem o mesmo valor jur√≠dico - nas onze l√≠nguas oficiais. Hoje em dia, √© o artigo 314.¬į do Tratado CE que estipula o princ√≠pio do multilinguismo relativamente ao texto dos tratados. Nos termos do artigo 290.¬į do Tratado CE, o Conselho √© quem deve tomar as decis√Ķes relativas ao regime lingu√≠stico das Institui√ß√Ķes comunit√°rias, o que j√° foi feito em 1958, quando foi adoptado o Regulamento n.¬ļ 1. Nos termos do artigo 6.¬ļ do Tratado da Uni√£o Europeia, a Uni√£o respeita a identidade nacional dos seus Estados-Membros O n.¬ļ 11 do artigo 2.¬ļ do Tratado de Amesterd√£o prev√™ a possibilidade de os cidad√£os da Uni√£o utilizarem a sua l√≠ngua nos seus eventuais contactos com as Institui√ß√Ķes. O n.¬ļ 4 do artigo 41.¬ļ da Carta dos Direitos Fundamentais inclui igualmente esta disposi√ß√£o.

Porquê tantas línguas ?
O princ√≠pio do multilinguismo assegura a transpar√™ncia democr√°tica e a igualdade de direitos dos cidad√£os e dos Estados-Membros no acesso √† legisla√ß√£o e na comunica√ß√£o com as Institui√ß√Ķes da UE. Garante igualmente a seguran√ßa jur√≠dica: os actos legislativos que s√£o de aplica√ß√£o directa nos Estados-Membros devem ser aprovados nas v√°rias l√≠nguas, a fim de que todos os interessados possam tomar deles conhecimento em condi√ß√Ķes de igualdade.

Quais são estas línguas ?
Existem actualmente onze línguas oficiais (alemão, dinamarquês, espanhol, finlandês, francês, grego, inglês, italiano, neerlandês, português e sueco). O irlandês (gaélico, "Gaeilge") é considerado língua oficial no tocante ao direito primário (ou seja, aos tratados). De cada vez que se processa um alargamento, o Conselho acrescenta sistematicamente às línguas oficiais existentes as línguas designadas pelos novos Estados-Membros.

A exigência de qualidade
Com a preocupa√ß√£o de comunicar melhor com os cidad√£os europeus, a UE adoptou h√° algum tempo o princ√≠pio da qualidade da redac√ß√£o. Este princ√≠pio foi finalmente incorporado no Tratado de Amesterd√£o atrav√©s da Declara√ß√£o n.¬ļ 39, que deu lugar a uma s√©rie de regras comuns (reunidas no Guia Pr√°tico Comum) com o objectivo de simplificar a apresenta√ß√£o e o estilo dos textos legislativos e de os tornar, deste modo, mais leg√≠veis e acess√≠veis para os cidad√£os.

Consequências práticas deste princípio
Enquanto os tratados, a legisla√ß√£o comunit√°ria e as decis√Ķes do Tribunal de Justi√ßa s√£o elaborados em todas as l√≠nguas oficiais, em aplica√ß√£o do artigo 6.¬ļ do Regulamento n.¬ļ 1/58, cada Institui√ß√£o possui as suas pr√≥prias regras de aplica√ß√£o do regime lingu√≠stico (utilize a coluna da esquerda para saber como cada Institui√ß√£o aplica, concretamente, o princ√≠pio do multilinguismo). Os acordos internacionais possuem igualmente um regime que lhes √© peculiar, decidido caso a caso em fun√ß√£o dos pa√≠ses ou das organiza√ß√Ķes que s√£o partes no acordo.

Como tornar-se tradutor junto da UE?

Recrutamento
As Institui√ß√Ķes da Uni√£o Europeia recrutam habitualmente os seus tradutores atrav√©s de concursos gerais, embora sejam utilizados outros processos de selec√ß√£o no caso dos agentes tempor√°rios ou auxiliares. O aviso de concurso √© sempre publicado no Jornal Oficial das Comunidades Europeias. Todos os concursos s√£o diferentes: as condi√ß√Ķes de admiss√£o e o conte√ļdo das provas dependem das necessidades do momento. Por isso, recomendamos vivamente a consulta de cada aviso de concurso, para conhecer com exactid√£o as suas modalidades com exactid√£o.

Por enquanto, as Institui√ß√Ķes disp√Ķem de uma ampla autonomia na organiza√ß√£o dos concursos, embora sejam por vezes organizados concursos interinstitucionais conjuntos. Todavia, est√° prevista a cria√ß√£o de um servi√ßo interinstitucional de recrutamento, para harmonizar as condi√ß√Ķes de admiss√£o e os avisos de concursos.

Condi√ß√Ķes de admiss√£o aos concursos

As condi√ß√Ķes gerais de admiss√£o s√£o as que se aplicam a todos os funcion√°rios da CE nos termos do respectivo Estatuto (artigo 28.¬ļ), a saber:

ter a nacionalidade de um dos Estados-Membros das Comunidades

encontrar-se em situação regular face às leis de recrutamento militar

oferecer as garantias de moralidade requeridas para o exerc√≠cio das fun√ß√Ķes (Certificado do Registo Criminal)

possuir um conhecimento profundo de uma ou de duas línguas oficiais da União Europeia e um conhecimento satisfatório de outra língua oficial.
As condi√ß√Ķes espec√≠ficas para um lugar de tradutor s√£o bastante vari√°veis, mas incluem sempre as seguintes rubricas:

certificados e diplomas: estudos universitários completos (licenciatura), não necessariamente no domínio linguístico; em alternativa, é por vezes aceite uma experiência profissional de nível equivalente;
conhecimentos linguísticos: perfeito domínio da língua-alvo (a língua para a qual se irá traduzir), de nível equivalente ao da língua materna; profundos conhecimentos de, pelo menos, outra língua oficial da União Europeia; bons conhecimentos de outras línguas oficiais (estas exigências linguísticas variam consoante os casos);
experiência profissional no domínio linguístico: a duração da experiência exigida depende, nomeadamente, do nível do posto a prover (para os graus de base da carreira, por vezes não é exigida qualquer experiência) e das necessidades do momento;
limite de idade: vari√°vel, frequentemente 45 anos.
Para se tornar funcionário, é necessário além disso:

ser aprovado no concurso
preencher as condi√ß√Ķes de aptid√£o f√≠sica necess√°rias.
Cada concurso é organizado para uma determinada língua-alvo.

Aviso de concurso
Todos os avisos de concurso são publicados no Jornal Oficial (JO) das Comunidades Europeias e anunciados em jornais nacionais dos países comunitários onde é utilizada a língua-alvo do concurso.

O aviso publicado no JO cont√©m o formul√°rio oficial de candidatura e todas as condi√ß√Ķes de admiss√£o, gerais e espec√≠ficas, bem como indica√ß√Ķes quanto ao procedimento a seguir (incluindo os prazos e os documentos justificativos a apresentar).

Concursos a decorrer e calend√°rio previsional

Provas
O concurso comp√Ķe-se de provas escritas e orais. As provas escritas consistem em traduzir para a l√≠ngua-alvo do concurso textos de car√°cter geral, jur√≠dico, econ√≥mico ou outro. Podem ser obrigat√≥rias ou facultativas e, de um modo geral, √© permitido o uso de dicion√°rios. Por vezes, as provas incluem igualmente question√°rios de escolha m√ļltipla, que s√£o eliminat√≥rios.

A prova oral consiste numa entrevista entre o j√ļri e o candidato, tanto na l√≠ngua-alvo do concurso como nas restantes l√≠nguas apresentadas pelo candidato. O objectivo consiste em avaliar a cultura geral do candidato, o seu conhecimento das actividades da UE e a sua capacidade para se integrar no seu futuro meio de trabalho.

Procedimento
Os candidatos são sempre mantidos a par do andamento do concurso. Caso se devam deslocar até ao local das provas, recebem uma contribuição financeira para as despesas de viagem.

A organiza√ß√£o pr√°tica do concurso √© assegurada pelo Servi√ßo de Recrutamento de cada Institui√ß√£o. O j√ļri, composto por funcion√°rios, √© encarregado dos aspectos t√©cnicos e de fundo: admiss√£o dos candidatos aos concursos, selec√ß√£o dos textos para as provas escritas, nota√ß√£o das provas, prepara√ß√£o da entrevista oral. Os trabalhos do j√ļri s√£o secretos.

O anonimato √© totalmente garantido nas provas escritas. √Č elaborada uma lista de aptid√£o, ou seja, uma lista dos candidatos aprovados no concurso, tendo em vista o provimento dos lugares vagos, actuais e futuros.

Os candidatos constantes da lista de aptidão podem receber da Instituição uma oferta de trabalho, em função dos postos vagos. Se aceitarem esta proposta, deverão submeter-se a um exame médico, a que se seguirá um estágio de avaliação com a duração de nove meses. No final do estágio, se a avaliação for positiva, serão nomeados, tornando-se assim funcionários.

Uma oportunidade a explorar: os est√°gios externos
V√°rias Institui√ß√Ķes possuem programas de est√°gios para jovens, destinados a permitir-lhes adquirirem uma experi√™ncia profissional e pessoal e tomarem contacto com as actividades da Institui√ß√£o. Estes est√°gios, todavia, n√£o podem levar √† nomea√ß√£o como funcion√°rio, embora proporcionem aos estagi√°rios a ocasi√£o de se familiarizarem com o ambiente de trabalho. Entre outras condi√ß√Ķes, os candidatos devem ter pelo menos trinta anos de idade, estarem em vias de concluir os seus estudos ou t√™-los conclu√≠do recentemente e possuir a nacionalidade de um Estado-Membro da UE (por vezes, podem ser admitidos nacionais de pa√≠ses candidatos, em determinadas condi√ß√Ķes).

Outra possibilidade de trabalhar como tradutor para a UE: a tradução externa

Recrutamento de tradutores: no caso dos novos Estados-Membros, o estatuto de funcionário só é adquirido no momento da adesão efectiva do país. Retorno ao texto

Tradutores: Quando h√° novas ades√Ķes, podem ser igualmente organizados concursos para revisores. O revisor √© um tradutor experimentado que faz a releitura das tradu√ß√Ķes, a fim de validar o texto, corrigindo os erros eventuais.

Europa" é o portal da União Europeia na Internet (http://europa.eu.int/).


Direct link Reply with quote
 


To report site rules violations or get help, contact a site moderator:


You can also contact site staff by submitting a support request »

Por que raz√£o necessitamos de tradutores ?

Advanced search






TM-Town
Manage your TMs and Terms ... and boost your translation business

Are you ready for something fresh in the industry? TM-Town is a unique new site for you -- the freelance translator -- to store, manage and share translation memories (TMs) and glossaries...and potentially meet new clients on the basis of your prior work.

More info »
Déjà Vu X3
Try it, Love it

Find out why Déjà Vu is today the most flexible, customizable and user-friendly tool on the market. See the brand new features in action: *Completely redesigned user interface *Live Preview *Inline spell checking *Inline

More info »



Forums
  • All of ProZ.com
  • Term search
  • Jobs
  • Forums
  • Multiple search